O que é peculato? Entenda melhor o que é esse crime

O que é o crime de peculato

O crime de peculato ocorre quando um funcionário público toma para si dinheiro, bem ou valor, em razão de sua função. Quando o fruto da apropriação feita pelo funcionário público é entregue para que outra pessoa tire proveito disso, o crime também se configura.

Esse delito está disposto no Código Penal, mais precisamente, no artigo 312. 

Veja:

Peculato

Art. 312 – Apropriar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio:

Pena – reclusão, de dois a doze anos, e multa.”

Neste post, você vai conhecer os tipos de peculato e saber a diferença entre esse crime e outros delitos do ordenamento jurídico. Acompanhe!

Quais são os diferentes tipos de peculato?

Saiba quais são os tipos de de peculato e como se configuram:

Peculato-furto

Quando o funcionário público se aproveita da sua função para furtar algum objeto ou valor da administração pública, mesmo que não esteja sob sua posse, o ato é configurado crime de peculato-furto.

§ 1º – Aplica-se a mesma pena, se o funcionário público, embora não tendo a posse do dinheiro, valor ou bem, o subtrai, ou concorre para que seja subtraído, em proveito próprio ou alheio, valendo-se de facilidade que lhe proporciona a qualidade de funcionário.”

Peculato mediante o erro de outrem

O peculato desse tipo acontece quando o funcionário público realiza a apropriação de um bem,  aproveitando-se do erro de outra pessoa.

Art. 313 – Apropriar-se de dinheiro ou qualquer utilidade que, no exercício do cargo, recebeu por erro de outrem: 

Pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa.”

Peculato eletrônico

Já no peculato eletrônico, o crime é realizado por meio do uso da tecnologia. O funcionário público utiliza o sistema de informática para inserir informações falsas ou alterá-las ou para inserir dados que lhe propiciem algum benefício.

Art. 313-A. Inserir ou facilitar, o funcionário autorizado, a inserção de dados falsos, alterar ou excluir indevidamente dados corretos nos sistemas informatizados ou bancos de dados da Administração Pública com o fim de obter vantagem indevida para si ou para outrem ou para causar dano: 

Art. 313-B. Modificar ou alterar, o funcionário, sistema de informações ou programa de informática sem autorização ou solicitação de autoridade competente […].” 

Peculato culposo

O peculato culposo é configurado quando o funcionário público age com imprudência, imperícia ou negligência, facilitando que outra pessoa cometa o crime.

Peculato culposo

§ 2º – Se o funcionário concorre culposamente para o crime de outrem:

Pena – detenção, de três meses a um ano.”

Qual a diferença entre peculato, improbidade e corrupção?

Todos esses delitos são considerados crimes contra a administração pública, porém existem algumas diferenças entre eles. No peculato, o objeto do crime é um bem, valor ou dinheiro oriundo da administração pública. Já no crime de corrupção, o objeto é uma vantagem indevida que o funcionário público recebe. 

Por outro lado, no crime de improbidade, o funcionário público pratica uma ação que fere os princípios da administração pública, que gere uma lesão ao patrimônio público ou que faça com que tenha um enriquecimento ilícito.

A DSI Publicações é uma agência especializada em publicidade legal. Continue navegando pelo site, para conhecer os nossos serviços e solicitar um orçamento!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *