Aprenda quais são e onde as demonstrações financeiras devem ser publicadas

Publicação de demonstrações financeiras

As demonstrações financeiras são obrigatórias para todas as empresas que tiverem sócios em seu quadro. Elas devem ser feitas de acordo com os passivos e ativos da empresa, bem como precisam relacionar como eles foram aplicados durante os períodos que abrangem as demonstrações.

Continue a leitura e veja por que as demonstrações financeiras devem ser publicadas!

O que são demonstrações financeiras?

As demonstrações financeiras são classificadas como relatórios utilizados para apresentar os aspectos econômicos e financeiros de uma empresa. Por meio delas, é possível identificar como foi o desempenho da empresa durante o ano em aspectos relacionados a lucro, despesas, faturamento e investimentos.

Porque é obrigatório a publicação das demonstrações financeiras?

As demonstrações financeiras devem ser publicadas, obrigatoriamente, para qualquer empresa que possua acionistas. Essa obrigatoriedade está prevista na Lei n.° 6.404 de 1976 que dispõe sobre a sociedade por ações. Veja:

Art. 176. Ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações ocorridas no exercício:

 I – balanço patrimonial;

II – demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados;

III – demonstração do resultado do exercício; e

IV – demonstração dos fluxos de caixa; 

V – se companhia aberta, demonstração do valor adicionado.

Quais demonstrações financeiras têm publicação obrigatória?

Conforme o dispositivo legal citado, algumas demonstrações financeiras possuem publicação obrigatória. Saiba um pouco mais sobre cada uma delas:

Balanço patrimonial

O balanço patrimonial é o registro que contém as informações financeiras da empresa no que tange aos ativos e passivos manipulados durante o ano.

Ele deve ser composto por duas colunas principais, uma com ativos, que são os bens e direitos da empresa, e outra com os passivos, que é dividida em duas partes: uma com o patrimônio líquido e outra com as obrigações ou exigências da empresa.

Por meio desse demonstrativo, é possível analisar o comportamento das finanças da empresa, fazer um bom planejamento tributário e tomar melhores decisões financeiras.

Demonstração do resultado do exercício (DRE)

A DRE é um relatório que informa se uma empresa está tendo mais lucros ou mais prejuízos. Ela conta com deduções de tributos, receitas e despesas do negócio. Esse documento pode ser feito com periodicidades variadas, sendo que a mensal e a anual são as mais tradicionais.

Para fazer a DRE, é preciso contar com registros contábeis confiáveis dos períodos anteriores à confecção do documento. Ela deve conter informações como a receita bruta, receita líquida, despesas com vendas, lucro ou prejuízo da operação e outros dados, conforme a redação do artigo 187 da Lei n.° 6.404 de 1976.

Demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados (DLPA)

A DLPA é a última demonstração financeira feita durante o ano, tendo em vista que engloba as informações acumuladas nesse período. O documento visa deixar mais claro a relação entre os impostos pagos pela empresa e os lucros obtidos.

Os dados que são incluídos na DLPA podem ser extraídos dos registros contábeis da empresa, bem como de outros dois demonstrativos citados neste post: o balanço patrimonial e a DRE.

As principais informações que devem estar na DLPA são o prejuízo líquido, os dividendos, a parcela de lucro ao capital, as reversões de servas de lucro e o lucro líquido da empresa.

Demonstração do fluxo de caixa (DFC)

Figurando como um dos demonstrativos mais importantes e comuns nas empresas, o DFC serve para apresentar todas as saídas e entradas financeiras do negócio em determinado período contábil, com base no saldo mínimo de caixa da empresa.

A DFC também mostra os resultados do fluxo de caixa em três atividades principais: a operacional, a de investimento e a de financiamento. Para fazer isso, a empresa utiliza seus históricos de caixa e as informações contidas no DRE.

Demonstração do valor adicionado (DVA)

Por fim, temos a DVA, que apresenta os valores monetários auferidos pelo negócio e registra como eles foram utilizados dentro de determinado período. Conforme o artigo 176 da Lei n.º 6.404 de 1976, essa demonstração só é obrigatória caso a companhia seja aberta.

O documento tem como principal finalidade, além de cumprir a obrigatoriedade legal, demonstrar para os sócios e acionistas da empresa como a organização performou em relação ao aumento ou diminuição de riquezas.

Veja como a DSI Publicações pode te ajudar

As demonstrações financeiras devem ser publicadas na Imprensa Oficial. Para fazer isso, você pode elaborar os documentos e enviá-los para que a DSI Publicações faça o resto! A diagramação e a revisão ficam por conta da empresa e você só precisa fazer o envio das demonstrações e o pagamento para que os seus documentos sejam publicados na Imprensa Oficial.Se quiser saber mais sobre serviços de publicidade legal, entre em contato com a DSI Publicações e peça um orçamento!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *