Entenda o que é e como incluir o CEST na nota fiscal

Entenda o que é e como incluir o CEST na nota fiscal

Com uma legislação tributária cada vez mais complexa, não faltam processos burocráticos para o funcionamento das empresas. Em meio a isso tudo, o CEST se tornou mais uma preocupação para os gestores, que devem utilizá-lo para cumprir com as normas estabelecidas pelo Fisco. Mas o que exatamente é esse código, qual sua importância e o que ele muda para as companhias?

O que é CEST?

Criado pelo governo federal em 2015, o Código Especificador da Substituição Tributária (CEST) é um padronizador e identificador de produtos sujeitos ao regime de substituição tributária e à antecipação do recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Seu uso é obrigatório para todos os contribuintes do ICMS que comercializem bens e produtos.

Qual a importância do CEST?

Sua principal função é facilitar ao governo a identificação dos itens enquadrados ao ICMS-ST e a verificação da Margem de Valor Agregado (MVA) de cada produto. Dessa forma, é possível garantir a justa concorrência no mercado e evitar a disparidade de preços. Além disso, é fundamental para determinar os produtos que permitem o pagamento do ICMS por uma só empresa.

Quais as principais mudanças do CEST?

Mais do que a inserção de um novo campo na nota fiscal para discriminar o CEST, sua criação trouxe algumas consequências. A partir de então, a circulação de mercadorias que constam na tabela do CEST só é permitida sob o regime de substituição tributária. Isso fez com que alguns produtos deixassem de se enquadrar no ICMS-ST, como, por exemplo, os brinquedos.

Como consultar a tabela CEST?

Para descobrir o código de cada produto, é possível consultar uma tabela disponibilizada pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) em seu portal. Além do CEST, é possível encontrar a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) e a descrição das mercadorias.

Atualmente, são contemplados 28 segmentos devidamente subdivididos. A tabela, no entanto, pode sofrer alterações e atualizações, devendo as empresas sempre estarem atentas ao que se enquadra ou deixa de valer no CEST.

Ao utilizar a tabela do Confaz, há alguns passos básicos para descobrir um CEST: encontrar a NCM (de 8 dígitos) e, em caso de haver uma ou mais NCMs, é necessário ler a descrição do código e optar pelo que se enquadra melhor à sua mercadoria; há a possibilidade do produto não se encaixar em nenhuma descrição, e, sendo assim, não estará enquadrado no CEST.

Como incluir o CEST na nota fiscal?

Após descobrir quais dos seus produtos estão incluídos na tabela CEST, é hora de inserir o código na nota fiscal em um campo específico para cada item comercializado.

Vale ressaltar a importância de verificar se o software de emissão de notas fiscais utilizado possui os campos de preenchimento do CEST e atende às exigências do regime. O auxílio de um profissional de contabilidade é fundamental para evitar erros que podem gerar problemas tributários à empresa.

Publique uma matéria no Diário Oficial com a Diário Serviços

Muita gente não sabe, mas veicular uma matéria ou publicidade legal no Diário Oficial da União é mais simples do que se imagina. Basta preencher um formulário no site da Diário Serviços e enviar seu conteúdo para análise. Especializada na mediação de publicações no DOU e nos veículos oficiais de imprensa dos estados, a agência possui sete anos de experiência no segmento.

Veja mais: Publicação no Diário OficialPublicação de BalançoPublicar estatuto socialPublicação de redução de capita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *